Quarta-feira, 24 de Julho de 2024

Em cerimônia concorrida, Patrus Ananias assume o MDA
SindPFA participa do evento e cumprimenta o novo ministro

Da esquerda para a direita, o novo ministro, Patrus Ananias, o PFA Leonardo Góes, Superintendente do Incra em Sergipe, e Sávio Feitosa, Diretor Presidente do SindPFA

O auditório do bloco “A” da Esplanada dos Ministérios estava lotado nessa manhã para a cerimônia de transmissão de cargo de Ministro de Estado do Desenvolvimento Agrário a Patrus Ananias. Na platéia, integrantes de movimentos sociais, servidores, ocupantes de cargos de direção do ministério e do Incra, deputados e senadores. Também participaram 11 ministros, entre os quais os ex-ocupantes do MDA Afonso Florence, Pepe Vargas e Miguel Rossetto, que transmitiu o cargo ao novo titular.

O discurso de Rossetto foi para exaltar as realizações do Ministério de 2003 até a atualidade, período em que esteve à frente do MDA por duas vezes.

Patrus Ananias, por sua vez, consolidou falas que já vinha empregando em entrevistas antes mesmo de sua posse e aprofundou o discurso ideológico. Entre as suas falas, disse que “à questão social acresce a questão ambiental para nos lembrar que o direito de propriedade não pode ser incontrastável, inquestionável, que prevalece sobre os demais direitos”.

O princípio constitucional da função social da terra esteve em pelo menos cinco citações de seu discurso, o qual disse que é preciso aprofundar, regulamentar e aplicar. Para ele, “a reforma agrária ainda desafia o país” e é necessária. “Ignorar ou negar a permanência da desigualdade e a injustiça é uma forma de perpetuá-las”, disse.

O SindPFA esteve no local e acompanhou o evento. No seu término, o Diretor Presidente do Sindicato, Sávio Feitosa, cumprimentou o novo ministro, acompanhado do também PFA Leonardo Góes, Superintendente Regional do Incra em Sergipe. Sávio também cumprimentou Pepe Vargas e Rossetto, que assumem novas pastas no Palácio do Planalto.

Assim que possível, o Sindicato solicitará agenda com o agora titular da pasta do Desenvolvimento Agrário para a discussão de temas da carreira e da política agrária.

As falas de Ananias contrastaram com afirmações da Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, recém empossada, que disse à Folha de S. Paulo que “não existe mais latifúndio no Brasil”, entre outras afirmações que causaram polêmica.

O fato atraiu a atenção da mídia ao tema, como poucas vezes foi visto no período recente. Veja algumas notícias e entrevistas veiculadas nos últimos dias nos principais veículos do país.

O Globo, 31/12: Patrus Ananias buscará agronegócio para discutir reforma agrária

Valor, 5/1: Ananias defende função social da terra

Folha, 5/1: Não existe mais latifúndio no Brasil, diz nova ministra da Agricultura

Folha, 5/1: Kátia Abreu assume ministério sob críticas de índios e sem-terra

Uol, Blog do Sakamoto, 5/1: Ministra diz que “não existe mais latifúndio”. Adoraria viver no país dela

Folha, 6/1: Ministro diverge de Kátia Abreu e defende “derrubar a cerca de latifúndio”

G1, 6/1: Patrus defende reforma agrária e diz que não basta “derrubar cercas”

Estadão, 6/1: Em contraponto a Kátia Abreu, Patrus diz que reforma agrária desafia o país

Valor, 6/1: Ignorar desigualdade é uma forma de perpetuá-la, defende Patrus

O Globo, 6/1: Patrus Ananias diverge de Kátia Abreu: “Não basta derrubar as cercas dos latifúndios”

Valor, 6/1: De saída do MDA, Rossetto defende política agrária de Dilma

Valor, 6/1: Para MST, Patrus Ananias simboliza “novo momento para reforma agrária”

Por KASSIO ALEXANDRE BORBA

Coordenador Executivo