Terça-feira, 30 de Novembro de 2021

Projeto de gestão de águas do Incra vence Troféu Seriema
Iniciativa é desenvolvida pela Superintendência Regional do Incra em Mato Grosso, sob a coordenação do Perito Federal Agrário Samir Curi. Este é o terceiro prêmio nacional.

O projeto “Implementação de Tecnologias Sociais e Educação Ambiental em Comunidades do Alto Pantanal Mato-Grossense”, desenvolvido pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Mato Grosso, venceu o Troféu Seriema, na categoria “Sociedade Sustentável”. A premiação é organizada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO) e ocorreu na quarta-feira (18) (assista ao final da matéria).


Lago de múltiplo uso é utilizado em assentamento de Cáceres. Foto: Incra/MT

O projeto do Incra/MT já foi vencedor do 7º Prêmio Melhores Práticas A3P/2018, realizado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). E venceu também na Categoria Governo, o Prêmio Agência Nacional das Águas (ANA) 2020. A premiação reconhece e valoriza as melhores práticas e iniciativas voltadas ao cuidado e gestão das águas do Brasil.

O Troféu Seriema tem por objetivo “reconhecer expressivos projetos / programas em prol da preservação, recuperação, defesa ou conservação do meio ambiente”. A premiação possui sete modalidades: Elementos Naturais, Biodiversidade, Sociedade Sustentável, Inovação, Imprensa, Produção Acadêmica e Gestão Empresarial para os ODS.

Sustentabilidade

Em funcionamento desde 2009, o projeto é desenvolvido pela Superintendência Regional do Incra em Mato Grosso, sob a coordenação do Perito Federal Agrário Samir Curi e colaboração de diversos outros profissionais da autarquia, de entidades e órgãos públicos parceiros.

Curi trabalha, há alguns anos, com tecnologias sociais que buscam soluções sustentáveis para a agricultura familiar. Na cerimônia de premiação, o PFA agradeceu ao Crea-GO e fez questão de homenagear todos os que colaboraram com o projeto. “Eu quero agradecer a todas as 20 entidades que trabalharam nesse sonho nosso, em especial o nosso grande mestre, chamado Luciano Cordoval, da Embrapa de Sete Lagoas (MG), que é o criador do projeto Plantando Água, há mais de 30 anos”, disse. Em entrevista recente, o engenheiro agrônomo ressaltou que a maior parte dos alimentos da população brasileira vem da agricultura familiar. “Me sinto realizado por poder contribuir com as soluções em relação à captação e ao uso da água para consumo humano, atividades escolares e produtivas”, afirma Samir Curi.

O projeto do Incra/MT usa as chamadas tecnologias sociais para garantir o desenvolvimento sustentável das comunidades. O resultado é a solução de problemas relativos ao meio ambiente, à ampliação da economia local, redução das desigualdades sociais, aumento da cadeia produtiva, geração de emprego e renda.

Em Mato Grosso, onde as estimativas apontam para a existência de cerca de 150 mil famílias na atividade de agricultura familiar, um dos principais problemas enfrentados é a falta de água e a degradação ambiental, principalmente na época seca do cerrado. No estado, foram implementados projetos com tecnologias sociais sustentáveis como a captação da água da chuva, cisternas, barraginhas da Embrapa, lago de uso múltiplo, biofossa, reservatório para piscicultura.

Exemplo

Em Cáceres, distante 220 quilômetros da capital Cuiabá, e onde existem sete assentamentos da reforma agrária, com 360 famílias e três escolas do campo foram adotadas as tecnologias. A captação de água da chuva, que pode ser usada para uso doméstico, em atividades educativas e produtivas e a captação de água das enxurradas, que prolongou a umidade do solo aumentando o nível nas cacimbas (um tipo de poço) são as mais utilizadas. Atualmente são abastecidas 150 famílias e duas escolas utilizam os sistemas.

O resultado foi a melhoria na renda familiar, com aumento de produção na pecuária de leite e geração de novos empregos numa região que vinha enfrentando o êxodo rural.

Parcerias

O projeto é fruto de parceria firmada entre o Incra/MT, Juizado Volante Ambiental de Cuiabá (Juvam Cuiabá), Justiça Federal de Cáceres, Justiça Estadual de Cáceres, World Wildlife Fund (WWF), Consórcio Nascentes do Pantanal (São José dos Quatro Marcos), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Empresa Matogrossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Universidade Federal do Estado de Mato Grosso (UFMT), Prefeitura Municipal de Cáceres, Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc-MT), Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE-MT), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Ministério Público Federal (MPF).