Sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2023

SindPFA se reúne com Secretário de Relações de Trabalho
Reunião marca o início das negociações com o governo em 2013

Na quinta-feira, 21/3, foi realizada reunião com a SRT/MPOG, conforme solicitação do SindPFA. Participaram da reunião Ricardo de Araujo Pereira, Diretor Presidente do SindPFA, Sávio Feitosa, Diretor Presidente substituto do SindPFA, Gilmar do Amaral, do Conselho Fiscal, Ana Nascimento, Diretora Financeira, Carlos Shigeaky, Delegado Sindical da Sede e nosso Assessor de Comunicação Kássio Borba. Pela SRT, participaram o Secretário Sérgio Mendonça, e os seus assessores Edina e Borges.

Ricardo Pereira, Diretor Presidente do SindPFA, iniciou explanando que o Incra está passando por uma etapa de qualificação dos seus processos internos, mas que existe a necessidade da Autarquia possuir em seus quadros pessoal motivado para poder melhor executar as mudanças pretendidas. Continuou afirmando que no ano passado não foi possível formalizar acordo, pois a proposta do governo prejudicava a relação VB/GDAPA, aumentava o step total e não apresentava ganhos salariais em termos reais, que apontasse para a correção das distorções salariais em relação a carreiras assemelhadas. Finalizou informando ser necessário retomar as negociações, solicitando que a SRT apresentasse uma nova proposta considerando os elementos já citados.

O Secretário afirmou que a reabertura de negociações poderia sinalizar para as outras categorias do serviço público federal que a SRT iria renegociar os acordos firmados, o que, segundo Mendonça, não acontecerá. Tal observação foi rechaçada, pelo SindPFA, posto que as categorias que assinaram acordo devem cumpri-lo de modo integral, conforme chamou a atenção Gilmar, ex-presidente da Assinagro, pois foi assim que procedeu a Associação no acordo de 2007.

O secretário prosseguiu afirmando que iria verificar a possibilidade da apresentação da mesma proposta colocada em 2012 para a categoria, mas foi prontamente rebatido pelo SindPFA que esta proposta já havia sido rejeitada por duas assembleias gerais, por ampla maioria, devendo a SRT reformular a proposta de 2012, com base em suas falhas, já anteriormente explicitadas. A SRT afirmou que existe a possibilidade de novas negociações com as cinco categorias com as quais não foi possível formalizar acordo: PFAs, DNPM, DNIT, agentes da PF e Agências Reguladoras, com impacto em 2014, mas que deveria haver uma negociação intra-governo, pois avanço em relação à proposta já colocada nas negociações de 2012 estaria fora dos limites daquela mesa de negociação, pois a que foi apresentada para o Incra já tinha sido acima das demais carreiras. Esta afirmação foi rebatida pelo SindPFA, pois a atual distorção foi fruto da não correção nos salários da nossa carreira, a exemplo do que foi feito para a carreira do FFA em 2008.

Foi explicitado pelo Diretor Presidente que os colegas que trabalham em todas as regiões do país estão extremamente desmotivados e que a leitura que eles fazem é de que o governo pretende matar a Autarquia por inanição, tendo em vista que muitos funcionários estão próximos da aposentadoria e outros estão em busca de outros empregos, em função dos baixos salários. Tal afirmativa foi denegada pelo Secretário, afirmando que o governo não adotaria esta política. Todos os colegas do SindPFA que estavam presentes afirmaram que esta era a leitura que a categoria está fazendo com a adoção dessa posição intransigente do governo, pois a Autarquia e os PFAs em muito contribuíram para a redistribuição de terras no país. Atualmente os PFA’s têm trabalhado para uma melhor governança agrária, tendo em vista o caráter estatal desta missão, inclusive em relação à segurança nacional.

O Secretário afirmou que iria trabalhar internamente esta questão, mas voltou a afirmar que a mesa tem limites. O Presidente do SindPFA solicitou o agendamento de um novo encontro, que, após alguma relutância da SRT, ficou previamente marcado para o dia 9 de maio.

Por KASSIO ALEXANDRE BORBA

Coordenador Executivo