Domingo, 27 de Novembro de 2022

Toma posse a primeira mulher Presidente do Incra
Lúcia Falcón recebeu o cargo em cerimônia lotada

Na manhã dessa segunda-feira, 30/3, tomou posse a nova Presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – Incra, Maria Lúcia de Oliveira Falcón, em cerimônia concorrida no Auditório da Sede do Incra.

Nomeada em 18 de março, a primeira mulher a presidir o Incra esteve na sede do órgão na última semana para conhecer o gabinete, as diretorias e a conjuntura. Lúcia também é a primeira representante do Nordeste a comandar o Incra no período petista.

Convidado via ofício do Ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Patrus Ananias, o SindPFA esteve presente com seu Diretor Presidente, Sávio Feitosa, seu Substituto, Leonardo Queiroz, o Delegado Sindical Suplente da Sede, Renato Caixeta. Vários colegas e outros servidores também compunham a plateia.

À mesa sentaram-se o ex-presidente do Incra, Carlos Guedes de Guedes, o Ministro Patrus Ananias, a Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campelo, e, naturalmente, a nova presidente do Incra. Estavam presentes muitos parlamentares, superintendentes regionais do Incra, representantes de movimentos sociais e outras autoridades e organizações.

A cerimônia deste dia 30 de março começou com um breve discurso de Guedes, que transmitia o cargo. Em seguida, o Ministro do Desenvolvimento Agrário deu posse a Lúcia Falcon, que proferiu seu discurso.

Lúcia fez um histórico de sua vida profissional. É Engenheira Agrônoma, mestre em Economia, doutora em Sociologia e professora licenciada da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Trabalhou no Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), atuou no Conselho Fiscal da Petrobras, foi Secretária de Planejamento de Sergipe e de Desenvolvimento Urbano de Aracaju, Secretária Nacional de Planejamento do Ministério do Planejamento no início do Governo Dilma. Também presidiu a Comissão Nacional de Cartografia (Concar) e, até ser nomeada para o Incra, estava assessorando o Presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

“Entendo a necessidade de um pacto pelo reposicionamento do Incra no conjunto do governo, como órgão voltado ao desenvolvimento territorial, focando na agroindústria cooperativa e nas cidades rurais […] Para este novo Incra precisamos, redimensionar o quadro funcional, torná-lo multidisciplinar e difundir o uso de tecnologias da informação. Precisamos de carreira, concurso e metas claramente pactuadas”, disse a nova Presidente em um trecho de sua fala. Falou ainda da necessidade de “elaborar e implementar o III Plano Nacional de Reforma Agrária (PNRA)” e de “criar um Fundo de Desenvolvimento para o Incra, captando recursos extra-orçamentários”.

O discurso de Lúcia foi seguido de uma breve fala da Secretária Executiva do MDA, Maria Fernanda Ramos Coelho, que substituiu o Ministro – ele precisou deixar a mesa por um pequeno mal estar. Ela cumprimentou os parlamentares e as representações presentes, entre elas o SindPFA.

Antes do encerramento, Lúcia Falcón cumpriu o primeiro ato de sua gestão: assinou uma portaria criando um Grupo de Trabalho para rever o fluxo de Obtenção de Terras, regido pela Instrução Normativa nº 81/2014. Disse esperar uma proposta para esse tema em 30 dias.

Ao final, a nova Presidente recebeu os cumprimentos dos presentes. “Temos muito o que conversar”, foi o que ouviu o Diretor Presidente do SindPFA ao apresentar-se à Lúcia.

Veja aqui o discurso na íntegra de Lúcia Falcón. Abaixo, a reportagem produzida pela TV MDA.

Por KASSIO ALEXANDRE BORBA

Coordenador Executivo