Quarta-feira, 8 de Fevereiro de 2023

Entidades se unem para mobilizar servidores
Ataques ao serviço público exigem ações integradas

Acontecem desde o dia 26 de julho, reuniões com os servidores do Instituto Nacional  de Colonização e Reforma Agrária (Incra), nos halls dos andares do Edifício Palácio do Desenvolvimento, Sede do órgão. Trata-se de uma iniciativa da Associação dos Servidores da Reforma Agrária em Brasília (Assera/BR), acompanhada pelo Sindicato Nacional dos Peritos Federais Agrários (SindPFA) e pela Confederação Nacional das Associações dos Servidores do Incra (Cnasi-AN).

Até então, as conversas ocorreram no 15º, 13º e 16º andares, onde funcionam a Diretoria de Desenvolvimento de Projetos de Assentamento (DD), Diretoria de Gestão Administrativa (DA) e Diretoria de Obtenção de Terras e Implantação de Projetos de Assentamento (DT), respectivamente.  As três entidades uniram-se para ouvir os anseios e preocupações  dos servidores e juntos procurar solucionar os problemas pelos quais vem passando a autarquia, as carreiras e a política agrária como um todo.

Durante as reuniões, várias ideias foram compartilhadas e esclarecimentos feitos sobre o trabalho das entidades. Os servidores querem entender o futuro do órgão; o que se quer dos servidores e buscar instrumentos para a valorização das carreiras, com objetivo de fortalecer a instituição, para que a sociedade veja no Incra um órgão com função relevante para o Estado.

Um ponto em especial foi salientado igualmente nas três reuniões realizadas: a valorização das carreiras. Dele se desdobraram outros, como a desestruturação e a falta de servidores, retratando um órgão esvaziado, e, para piorar, estamos diante de uma Medida Provisória do Programa de Demissão Voluntária (PDV) que coloca regras que geram ainda mais frustração e insegurança, ao invés de estimular os servidores.

A união das entidades é importante nesse momento de ataque ao serviço público. Os novos rumos do Incra também precisam ser discutidos. “Não existe  uma carreira forte em uma instituição fraca”, destaca Sávio Feitosa, Diretor Presidente do SindPFA. Ainda ocorrerão reuniões até a quarta-feira, 2 de agosto. Após essas rodadas de  discussão, será realizada uma reunião maior no auditório do Incra para se desenhar os próximos passos de mobilização.