Sexta-feira, 9 de Dezembro de 2022

Fonacate: Carta à ombudsman da Folha de São Paulo
Fórum divulgou documento em que se coloca à disposição para dialogar sobre a reforma administrativa depois de matéria distorcer dados sobre o funcionalismo

Após matéria divulgada no dia 25 de agosto com o título ‘Servidores no Brasil concentram 6 das 10 ocupações mais bem pagas’, a Folha de São Paulo, por meio de sua ombudsman, Flavia Lima, reconheceu as graves distorções contidas na reportagem. Diz a jornalista em análise do texto original: “Não é de hoje que o jornal [Folha] aborda as distorções no universo dos servidores públicos relacionadas aos altos salários pagos, sobretudo na comparação com o setor privado. Muitas vezes, no entanto, escolhe uma abordagem simplista e acusatória do tema” (leia a íntegra aqui).

Ombudsman é um cargo profissional contratado por um órgão, instituição ou empresa com a função de receber críticas, sugestões e reclamações de usuários e consumidores, com o dever de agir de forma imparcial. Com a divulgação do mea culpa do veículo, João Daldegan, Vice-Diretor Presidente do Sindicato Nacional dos Peritos Federais Agrários (SindPFA), comentou o episódio. “A verdade deve prevalecer e consideramos importante a publicação da análise feita pela jornalista. No entanto, gostaríamos de ver o mesmo destaque dado ao texto original”, disse.

O Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), que representa 32 entidades de classe do funcionalismo, entre elas o SindPFA, divulgou carta aberta a Flavia Lima em que afirma que o Fórum “tem se preocupado em produzir textos técnicos, com fontes confiáveis sobre o funcionalismo brasileiro (saiba mais aqui)” e lamenta que, “apesar da quantidade e da qualidade dos dados com os quais trabalhamos, as publicações sobre o tema, regra geral, partem de estigmas e generalizações”.

O SindPFA e o Fonacate seguirão atentos ao debate acerca do tema, sempre dispostos ao diálogo qualificado e com foco no aprimoramento do Estado brasileiro. Leia abaixo o texto na íntegra.

CARTA