Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

Prêmio A3P reconhece boas práticas na administração pública
Doze instituições recebem premiação concedida a cada dois anos pelo Ministério do Meio Ambiente. Objetivo é incentivar sustentabilidade no país
Brasília – As boas práticas de sustentabilidade na administração pública vencedoras do 7º Prêmio A3P, promovido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), foram anunciadas nesta quinta-feira (23), em cerimônia no auditório da Imprensa Nacional, em Brasília-DF. A premiação, realizada a cada dois anos, reconhece ações de sustentabilidade desenvolvidas nos órgãos públicos, com projetos implementados. Nesta edição, mais de 70 projetos concorreram à premiação.

“Parabenizo cada uma das instituições aqui presentes pelas iniciativas de sustentabilidade, que estão servindo de exemplo para o país e para o mundo”, destacou o ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, na abertura da solenidade. O ministro também citou a redução das emissões de gases de efeito estufa pelo Brasil, anunciada recentemente. “O Brasil mantém seu protagonismo internacional. Esse compromisso com o meio ambiente deve ser internalizado por cada instituição, que assumirá seu papel no todo. A3P é isso”, disse Edson Duarte. Dados do MMA apontam a redução de 2,6 bilhões de toneladas de carbono entre 2016 e 2017, o que antecipa em três anos o cumprimento de sua meta para 2020 em relação à Amazônia e ao Cerrado.

Participaram do ato, além de representantes das 12 instituições finalistas, a secretária de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental, Rejane Pieratti, o diretor de Planejamento da Agência Nacional de Águas (ANA), Marcelo Cruz, e o presidente da Imprensa Nacional, Pedro Antônio Athaíde.

PREMIADOS

O perito federal agrário do Incra em Cuiabá (MT), Sami Curi, responsável pelo projeto de implementação de tecnologias sociais e de educação em comunidades do Alto Pantanal, recebeu o primeiro prêmio Destaque da Rede A3P. O projeto está sendo implantado, desde 2008, em região fronteiriça com a Bolívia que sofre de falta de água crônica. “Conseguimos provar que o meio ambiente é um aliado, desde que você entenda as suas condições”, disse. Ele aliou nove projetos já existentes para recuperar a água no local – Lago de múltiplo uso, Plantando água e Coleta água de erosão de micro-bacias, além de Bio-fossa da Embrapa, com o projeto Cisternas nas Escolas, de educação ambiental, Vigilantes da água, inspirado em experiência americana, e Cuidando das nascentes. “É como se cada projeto resolvesse uma parte do problema, está tudo integrado”.

A prefeitura de Recife ganhou o primeiro lugar em Gestão de Resíduos Sólidos pelo projeto do Centro de Educação, Tecnologia, Inovação e Sustentabilidade da prefeitura. O diretor executivo de tecnologia na educação do Recife, Francisco Luis dos Santos, afirma que o projeto nasceu de uma necessidade de gestão dos resíduos de equipamentos eletrônicos obsoletos que estavam em desuso na rede de educação.

“Já destinamos 4 mil computadores e 60 mil componentes. Uma parte foi para pesquisa em robótica, outra para trabalhos em artes, e os demais foram descartados por empresas especializadas”, explicou Francisco. “Os alunos de robóticas fizeram regadores automatizados para as hortas das escolas, com sensores de umidade, a partir das placas dos computadores”, contou.

Segundo ele, o evento de premiação da A3P foi interessante por ter possibilitado a troca com outros premiados, inclusive com o município de Afogados da Ingazeira, no sertão pernambucano. “Vamos sair daqui muito mais ricos na área de sustentabilidade do que chegamos”, afirmou.
FÓRUM A3P

A cerimônia do Prêmio A3P foi precedida pelo 10º Fórum da Agenda Ambiental na Administração Pública, que apresentou palestras e debate sobre o tema Água: Nem Sempre é Muita, Nem Sempre se Renova. O evento abordou o uso da água em duas frentes: na natureza, produzir e preservar; e o uso da água nos prédios públicos, o uso racional.

O 10º Fórum teve por objetivo disseminar informações, promover o diálogo sobre a inserção da sustentabilidade na administração pública e reconhecer o mérito das iniciativas dos órgãos e entidades do setor que contribuem para a inserção de critérios socioambientais nas atividades das instituições.
Representantes das instituições vencedoras da sétima edição do Prêmio A3P: reconhecimento
Resultado do Prêmio A3P

Categoria Destaque da Rede A3P
1º lugar: Implementação de Tecnologias Sociais e Educação Ambiental em Comunidades do Alto Pantanal Mato-grossense. Cuiabá – MT
2º lugar: Brigada Municipal Mista – PA Gleba Mercedes Benz I – Sinop, MT, do Corpo de Bombeiros Militar do Mato Grosso. Sinop – MT
3º lugar: Programa Sustentare, da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão de Porto Alegre. Porto Alegre – RS

Categoria Gestão de Resíduos Sólidos
1º lugar: Centro de Educação, Tecnologia, Inovação e Sustentabilidade da Prefeitura do Recife. Recife-PE

2º lugar: III Olimpíada Ambiental, da Prefeitura Municipal de Rio Claro. Rio Claro – SP
3º lugar: Gerenciamento de Resíduos Sólidos Na Universidade Estadual do Maranhão: projeto Nosso Papel. São Luís – MA
Categoria Uso/Manejo Sustentável dos Recursos Naturais
1º lugar: Plano de Construção Sustentável (Ações de Construção Sustentável) – DATAPREV. Rio de Janeiro – RJ
2º lugar: Esporte Sustentável – Prefeitura Municipal de Afogados da Ingazeira. Afogados da Ingazeira – PE
3º lugar: Projeto de Recuperação e Educação Ambiental no Bosque do CFH da Universidade Federal de Santa Catarina – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis – SC

Categoria Inovação na Gestão Pública
1º lugar: Caminhos para energia limpa – Tribunal de Contas da União. Brasília – DF
2º lugar: Projeto de Sustentabilidade INTEGRAR – Qualidade de vida no ambiente de trabalho – Ministério Público do Estado do Maranhão. São Luís – MA

3º lugar: Campanha de doação de medicamentos do MPRJ – Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro – RJ

Por: Ascom MMA
NATALIA RIBEIRO PEREIRA

Por NATALIA RIBEIRO PEREIRA

Assessora de Comunicação no SindPFA

Tags:, ,