Domingo, 27 de Novembro de 2022

Presidente do Incra quer ajuda de entidades para projeto de novo Incra
Proposta, que englobará reestruturação das carreiras, será apresentada a Dilma Rousseff

Na manhã da quinta-feira, 18/6, representantes do SindPFA e da Confederação Nacional das Associações de Servidores do Incra – (Cnasi) reuniram-se com a Presidente do Incra, Maria Lúcia Falcón, a seu convite, em seu gabinete.

Do lado do SindPFA, compareceram ao encontro o Diretor-Presidente Sávio Feitosa, o Diretor Presidente Suplente Substituto Leonardo Queiroz, a Diretora Financeira Gervânia Lobo, o Delegado Sindical Suplente na Sede Renato Caixeta, o Coordenador Kássio Borba e o Assessor de Comunicação Adriano Nunes. Pela Cnasi, estavam Maria Cleuza Carneiro e Reginaldo Marcos Aguiar.

Por parte do Incra, além de Lúcia Falcón, estavam presentes Junior Fidelis, Procurador-Chefe, Lauro Vasconcelos, Auditor-chefe. Ao final, também estiveram Cleide Antônia de Souza, pela Diretoria de Gestão Administrativa e Jeigiane Portela, pela de Gestão Estratégica.

A Presidente relatou ter estado com a Presidente da República Dilma Rousseff nos últimos dias, acompanhando o Ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, em uma reunião sobre o Plano Safra, que será lançado em breve. Na ocasião, teve a oportunidade de falar sobre suas proposições para o que chama de “Projeto Novo Incra”, convidando-a a visitar o órgão num evento que pretende organizar para celebrar os 45 anos da autarquia, no início de julho.

Maria Lúcia afirmou haver a possibilidade da Chefe do Executivo Federal estar presente, quando terá a oportunidade de apresentar a ela o projeto para a reestruturação do órgão.

Provocada pelo Diretor Presidente do SindPFA acerca das negociações com o Ministério do Planejamento e a atuação da gestão no curto prazo, a Presidente afirmou que as melhorias das condições de trabalho e salariais das carreiras do órgão precisam fazer parte do corpo desse projeto a ser apresentado ao Centro de Governo.

Sávio comentou também que é necessário resgatar a motivação dos servidores, dado que o ambiente de trabalho está contaminado pelo negativismo. Citou ainda que o problema afeta toda a esplanada, relembrando a recente entrega dos cargos pelos Advogados da União.

Lúcia Falcon informou ainda que o Incra trabalhará para que o projeto seja autorizado por Dilma Rousseff, e que os aprofundamentos internos serão feitos posteriormente.

O relato foi para que as entidades que representam as carreiras do órgão em nível nacional ajudem-na com os subsídios necessários para sua apresentação ao Palácio do Planalto. Para tanto, foi marcada para a tarde do próximo dia 26 de junho – sexta-feira – uma reunião de trabalho entre o corpo diretivo da autarquia, o SindPFA, a Cnasi  e representantes de movimentos sociais. “Sem horário para acabar”, disse a Presidente.

Gervânia Lobo, Diretora Financeira do SindPFA, externou o pensamento advindo das reuniões da Diretoria do Sindicato, que o Incra precisa discutir a sua missão, de modo que o corpo funcional possa contribuir nessa esteira. A Presidente falou da visão de futuro que pensa para a autarquia, que é ser referência nacional na gestão da terra para o cumprimento da função social da propriedade e para o desenvolvimento.

A propósito, o SindPFA há muito discute a política agrária nos tempos atuais e a missão da autarquia, estando confortável para apresentar suas contribuições. Esse inclusive foi o tema de seu I Congresso, realizado em 2011, cujo tema foi “os PFAs e a política agrária do Século XXI”. A proposta elaborada pelo Sindicato de resgatar o Incra como um Instituto Nacional de Terras caminha ao encontro dessa reestruturação. Focado nas melhorias no campo da gestão territorial, o trabalho será acrescido de contribuições no campo de obtenção de terras e desenvolvimento de assentamentos.

A Diretoria do SindPFA estará na semana que segue focada nesse trabalho. Contribuições são bem-vindas pelo e-mail contato@sindpfa.org.br.

Por KASSIO ALEXANDRE BORBA

Coordenador Executivo